quarta-feira, 30 de março de 2016

A MENINA DA ILHA DE SÃO BRAVO - final



por Edson Negromonte

Hoje, passados mais de 30 anos, é véspera de Natal. Estou em minha casa, ansioso, após receber um e-mail, avisando-me da sua chegada repentina, mas não inesperada. À mesa da cozinha, minha mãe aperta carinhosamente minha mão inquieta e diz-me para ter calma, cantarolando com sua voz doce e pequena:

O que tiver de ser, será, será; o que tiver de vir, virá, virá...

Um comentário: